Em 2004, o Marechal foi ao barbeiro

Procurando imperfeições em moedas de real da segunda família, parece que mais uma alteração em cunhos passou desapercebida — pelo menos não encontrei referências na internet. Além das alterações de todos os reversos em 2003 e os redesenhos de anverso para as moedas de 50 centavos (2005) 5 centavos (2007), parece que temos mais uma novidade.

Não se trata de um redesenho de um anverso, como nos dois últimos casos, mas de um retoque. Observemos a figura abaixo.

Anversos de 205 centavos. Primeira linha: 2004, 2003; segunda linha: 2005, 2008; terceira linha:  1999, 2004.

Anversos de 25 centavos. Primeira linha: 2004, 2003; segunda linha: 2005, 2008; terceira linha: 1999, 2004.

Temos seis exemplares de moedas de 25 centavos. Na primeira linha, o primeiro anverso é de 2004, o segundo, de 2003; na segunda linha, à guisa de exemplo, anversos de 2005 (esq.) e 2008 (dir.); na terceira linha, 1999 (esq.) e 2004 (dir.)

Observemos bem. Nas moedas de 2004 para trás, temos a barba, cabelo e bigodes do Marechal Deodoro um nível, digamos “médio” de detalhamento. De 2004 para frente, os detalhes são mais vigorosos e mais trabalhados, ao que parece. O principal ponto de observação é a “canaleta” que se forma na barba.

O anverso A (chamemo-lo assim) ocorre de 1998 a 2004; o B, de 2004 até agora. Para 2004, como se pôde observar, há os dois anversos; logo, duas variantes.

Fora a barba, as rugas de expressão na testa do Marechal parecem muito mais nítidas no anverso B.

Alguém pode levantar a questão do desgaste. Por isso, as peças da primeira linha (2004 e 2003) estão FDC. para comparação, as duas da linha de baixo são moedas circuladas com o anverso A. O desgaste da circulação não interfere na percepção do nível de detalhamento.

5 centavos de 2007: os dois anversos

É já notório que, assim como o anverso da moeda de 50 centavos de real passou por adequações, também as sofreu o anverso da moeda de 5 centavos. Em 2007, tanto a efígie de Tiradentes quanto o motivo alegórico com o triângulo e a pomba foram ligeiramente reduzidos e, aparentemente, a profundidade do alto-relevo foi reduzida, tornando o desenho “menos marcado”. Também há o detalhe de que as linhas diagonais que passam por trás da efígie passam de 13 no primeiro relevo para 12 no segundo.

É importante ressaltar que, ao contrário do que ocorreu com a moeda de 50 centavos, em 2007 foram emitidas peças com os anversos diferentes, o que cria duas variantes naquele ano.

Ambas as moedas são de 2007; à esq., o novo anverso, usado a partir desse ano. À dir., o anverso antigo, mais marcado, usado até 2007.

Ambas as moedas são de 2007; à esq., o novo anverso, usado a partir desse ano. À dir., o anverso antigo, mais marcado, usado até 2007 (clique para aumentar).