Moedas do cruzado novo/terceiro cruzeiro

O cruzado novo passou a ser a unidade monetária brasileira em 15 de janeiro de 1989, em decorrência da adoção do Plano Verão, e equivalia a 1.000 cruzados. Além das novidades nas cédulas — que tiveram seu tamanho reduzido de 174×54 mm, tamanho herdado da segunda série do segundo cruzeiro, para 140×65 mm —, introduziu-se uma nova família de moedas.

O reverso é claramente a repetição do das três moedas de 100 cruzados emitidas por ocasião do centenário da Abolição da Escravatura, mostrando o lado esquerdo da esfera presente na bandeira nacional valor facial, denominação e Estado emissor.

100cruzadosnovosserie[1]-500x500

Essa série tem a peculiaridade de ter servido parcialmente a dois padrões monetários, o cruzado novo (de 15/1/1989 a 15/3/1990) e o cruzeiro (a partir de a 16/3/1990). No primeiro padrão, foram emitidas apenas as moedas divisionárias (1, 5, 10 e 50 centavos) e uma moeda comemorativa de 1 cruzado novo, que relembrava os cem anos da República. A moeda de 1 cruzeiro e os múltiplos (5, 10 e 50) só foram emitidas em 1990, depois da mudança do padrão. Lembrando que a mudança do padrão em 1990 apenas afetou o nome da unidade, pois NCz$ 1 = Cr$ 1.

Mas o que nos interessa aqui são os padrões estéticos, as reais novidades. Na segunda série de moedas (1979-1986) do segundo cruzeiro, houve já uma considerável mudança estética, com representações que fugiam ao que já havia sido feito até então. Houve a reprodução de plantas, de esquemas abstratos e de projetos. O cruzado marca uma “sisudez” estética, para alguns até mesmo pobreza, quando as moedas, todas iguais, a não ser pelo tamanho e valor nominal, reproduziam o brasão de armas da República que não respeitava as leis da heráldica.

A série do cruzado novo/terceiro cruzeiro traz a representações de atividades tradicionais da economia brasileira, com uma figura humana e elementos associados dispostos de maneira espelhada a partir do centro do anverso. Além de ser uma série muito rica de detalhes miúdos, uma decorrência da especialização da cunhagem em aço inox, que é um metal muito duro.

A introdução de detalhes da atividade além da figura humana que a representa pode ter sido uma inspiração para a segunda família de moedas do real, cujo reverso também é inspirado na série do cruzado novo/cruzeiro.

13032-linda-moeda-de-1-centavo-1989-boiadeiro-inox-919311-MLB20525811370_122015-F

Na peça de 1 centavo (16,5 mm de diâmetro e 2,01 g de peso), temos a pecuária, representada pela figura do boiadeiro com lenço ao pescoço e montado em um cavalo, ladeado por dois berrantes e cordas (ou são as tiras do berrante?). No exergo, junto com a era, sete bois, que, em perspectiva, parecem vir detrás dos berrantes. O reverso apresenta duas estrelas na representação esquemática da esfera da bandeira, uma na parte superior da esfera, sempre representando α-Spica, a estrela do Pará, acima da faixa, e a outra abaixo.

brasil-5-centavos-1989.jpg

Na peça de 5 centavos (17,5 mm e 2,26 g), temos a pesca, com a figura do pescador tirando um peixe (ou usando algum tipo de instrumento) da rede com a mão direita, ocupando o centro superior e ladeado por redes e ondas estilizadas, no exergo, com a era, dois peixes, olhando cada um para fora da moeda. o reverso apresenta três estrelas, uma na parte superior e duas abaixo.

brasil-2-monedas-5-y-10-centavos-de-cruzado-novo-1989-cu-13543-MLU29532239_3467-F

A peça de 10 centavos (18,5 mm e 2,54 g) traz o garimpeiro, debruçado e com uma bateia em mãos e ladeado por círculos e linhas que parecem ser aqueles descritos na água quando do movimento da bateia. No exergo, com a era, três diamantes. O reverso apresenta cinco estrelas, uma na parte superior e quatro abaixo.

779_001

Na peça de 50 centavos (19,5 mm e 2,54 g), há a rendeira, trabalhando sobre uma almofada e ladeada pela visão lateral da almofada, com seus bilros. O exergo é praticamente todo dominado por um padrão de renda, mais a data. O reverso apresenta seis estrelas, uma na parte superior e cinco abaixo.

moeda-1-cruzeiro-1990-figuras-regionais-cruzeiro-do-sul-514811-MLB20626765625_032016-F

A peça de 1 cruzeiro (20,5 mm e 3,61 g) trata-se de uma quebra de padrão, seja no anverso como no reverso. O reverso traz a ideia da esfera da bandeira, mas sem estrelas e com linhas, que lhe dão a plasticidade da bandeira ondulada pelo vento. No anverso, o losango da bandeira, também com linhas horizontais ondulantes, e a esfera aparecem “estourados”, cuja “explosão” traz o Cruzeiro do Sul. A era vem na parte superior do exergo, á direita.

O catálogo Bentes registra a moeda de 1 cruzado novo, que acabou não entrando em circulação por conta da mudança no padrão. Ela trazia o reverso igual às outras da série, mas o anverso mostra um mapa do Brasil sob um desenho que forma uma cruz como a da Ordem de Cristo. A peça é conhecida como “cruz de Cristo” e, segundo o mesmo catálogo, conhecem-se 15 exemplares. Acredito que haja um problema no Bentes quanto ao diâmetro e ao peso dessa peça. Temos seis estrelas, uma na parte superior e cinco abaixo, descrevendo um “s”.

brazil-5-cruzeiros-1990

A peça de 5 cruzeiros (21,5 mm e 3,97 g) tem por tema a extração artesanal de sal, com a figura do salineiro com uma pá sobre seu ombro direito. As representações abstratas podem ter relação com o sol e com o vento, elementos necessários para a extração artesanal de sal. No exergo, um grande triângulo, ladeado por dois outros bem menores, simbolizando, muito possivelmente, os montes de sal. Temos sete estrelas, uma acima e seis abaixo.

x10-cruzeiros-1990-rh.jpg.pagespeed.ic.mKX92Z1oOa

Os 10 cruzeiros (22,5 mm e 3,74 g) trazem o seringueiro formando uma pela de látex, tendo na mão direita uma cuia e a mão esquerda no cabo da pela. Nos detalhes simétricos, o “painel”, que são as marcas feitas no tronco da seringueira para extração do látex, e duas cuias escalonadas de cada lado limitando o desenho dos painéis. No exergo, alguns desenhos rudimentares de uma instalação fabril, o que pode ser referência ao uso industrial do produto. Há no reverso nove estrelas, uma acima e oito abaixo.

50 Cruzeiros 1991 Anverso

A peça de 50 cruzeiros (23,5 mm e 4,78 g) é a que tem as figuras mais intrigantes. Ela traz a baiana de turbante, com seus tabuleiros e ladeada por uma formação de acarajés sobre guardanapo (dois acarajés sobre cada guardanapo), duas estruturas que poderiam ser samburás ou fornilhos de cachimbo, duas formas em meia-lua (entrei em contato com um amigo praticante de religiões afro-brasileiras que me informou que podem ser canoas ou cadeiras de ogã), e ainda abacaxis e um cajus, além de uma pequena flor entre o caju e a “piteira do cachimbo”. No exergo, uma figa invertida ocupa a posição central, ladeada por um búzio e um peixe, de cada lado. A baiana, reconhecida como profissão, é também uma representação cultural e religiosa. No reverso há dez estrelas, uma acima e nove abaixo.

comuni

Anúncios

5 comentários sobre “Moedas do cruzado novo/terceiro cruzeiro

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s