Clipping – Essas moedas do Donbass são realmente dinheiro?

Por Richard Giedroyc (Numismaster), 10 de julho de 2017
Original.

s-l1000 (1).jpg
Possíveis moedas de 20 rublos (latão), 10, 5, 3 rublos e 1 rublo (alumínio)

Nem todas as moedas são criadas da mesma maneira. Algumas são de curso legal; outras são de curso legal, mas não circulantes. Outras definitivamente não são aceitas como dinheiro.

Se tais moedas são realmente dinheiro é a questão que se levanta neste momento sobre moedas emitidas recentemente identificadas como sendo do Donbass, região da Ucrânia ocupada por tropas russas. O Donbass inclui as regiões de Donetsk e Luhansk, no leste da Ucrânia. Trata-se de uma região carvoeira e com indústria pesada que faz limite com a terra natal histórica dos cossacos do rio Don.

Ukrainemap-1
Mapa mostrando a Ucrânia e as regiões citadas. A mancha mais acima é o Donbass; a inferior, a Crimeia.

Os sobressaltos ocorridos no Donbass tiveram seu pico em 2014, como repercussão da queda política da Revolução Laranja ucraniana, em que um governo pró-Russia foi substituído por um nacionalista. Separatistas declararam a República Popular de Donetsk e a República Popular de Luhansk como Estados independentes. O fato seguiu-se pela anexação forçada pela Rússia, não obstante as objeções da Ucrânia.

A Ucrânia usa como base de seu sistema monetário a grívina (hryvina), moeda emitida pelo Banco Nacional da Ucrânia. A República da Crimeia, controlada pela Rússia, anunciou o abandono da moeda ucraniana e a adoção do rublo russo em 21 de março de 2014. Cidadãos locais tiveram até 1º de julho daquele ano para usar ou trocar suas grívinas.

As regiões secessionistas de Donetsk e Luhansk (autodenominadas em conjunto Donbass) no decorrer do conflito com a Ucrânia continuaram a usar a grívina, não obstante o rublo seja também aceito com menos frequência. A Rússia vê Donetsk e Luhansk da mesma maneira que a Crimeia.

Em novembro de 2014, os aposentados locais, desamparados, não tinham dinheiro, não obstante o sistema monetário dual extraoficial. A República Popular de Luhansk adotou o rublo russo como sua moeda oficial “majoritária” em 1º de março de 2014. O câmbio oficial em Luhansk é de 2 grívinas para 1 rublo. Há noticiais de falta severa de meio circulante metálico.

A questão que nos aparece agora é o status de uma série de cinco moedas com o nome do Donbass, era 2015. As moedas são de 1, 3, 5, 10 e 20 rublos. As quatro denominações menores são de alumínio, enquanto que a de 20 rublos é de latão. As peças de alumínio mostram um trabalhador em estilo socialista quebrando correntes com um grande martelo. A moeda de 20 rublos mostra a representação idealizada de um fazendeiro e sua esposa, outra reminiscência das moedas da era comunista com o tema “trabalhadores do mundo”.

Alguns vendedores de moedas estão oferecendo essas moedas em FDC, mas o status dessas como valor legal é uma dúvida. O uso delas como dinheiro no Donbass não pôde ser confirmado na época em que este artigo estava sendo escrito [julho de 2017].

Há um número surpreendente de itens numismáticos emitidos recentemente que envolvem o Donbass. Em 2006, a Rússia lançou uma medalha “Pela restauração das minas de carvão do Donbass”.

Em 2008, uma ficha ou medalha de “1 região” do Donbass sugere uma denominação, mas que nunca teve valor legal.

DON513_-_Donbasskiy_Kray_1_Region_2008_m
Ficha de “1 região”, de 2008.

Uma peça de 5 grívinas de 2013, de liga de níquel e prata, marca os 70 anos da libertação da região (então conhecida como Stalino) das mãos dos alemães na Segunda Guerra Mundial.

Em 2014, a medalha ucraniana Ordem dos Cem Heróis Celestiais, FDC e acobreada, foi chamada de moeda, mas falta-lhe a denominação. Ela foi emitida em 31 de março de 2014 por um grupo pró-Luhansk “em memória das centenas de heróis que morreram nos trágicos eventos em Kiev, durante a revolução, no inverno de 2014”.

putin-moneta-550_0
“Moeda” da Art-Grani

Pela mesma época, Vladimir Vasyukhin, chefe da companhia Art-Grani, emitiu uma medalha em que o presidente russo, Valdimir Pútin, aparece no anverso; no reverso, há um mapa da península da Crimeia, atualmente ocupada pelas tropas russas; a Art-Grani chama a medalha de moeda. De acordo com Vasyukhin, “A reunificação da Crimeia com a Rússia foi um evento histórico que nos decidimos materializar em uma coleção de moedas-suvenir”.

A isso seguiu-se a emissão das cinco moedas de 2015. À época de cunhagem, a casa da moeda de origem não pôde ser confirmada.

Nota: as figuras não constavam do texto original e foram incluídas pelo tradutor.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s