O porquê de nosso sumiço

Não, meus caros. Ainda não foi desta vez que este blogue acabou. Na verdade, demos uma pausa na postagem por alguns motivos de trabalho e também de estudo numismático.

Aliás, trazemos a vocês, se já não as conhecem, duas obras que consideramos muito importantes e que responderam a várias indagações nossas. A primeira é “Dinheiro no Brasil“, de Florisvaldo dos Santos Trigueiros, que traz informações e dados muito úteis acerca principalmente das cédulas brasileiras até 1987.

A outra é “Moedas do Brasil – Desde o Reino Unido – 1818-2000“, de Eugenio Vergara Caffarelli, uma espécie de catálogo enciclopédico.

São obras que, após leitura, consideramos imprescindíveis para continuação dos nossos estudos, principalmente pela riqueza de detalhes. O bom é que ambas estão disponíveis em PDF.

Bons estudos.

Moeda furada brasileira

Quando se planejou a nova série brasileira para substituir a famosa MCMI, no final dos anos 1910, cogitou-se uma moeda com furo central, como as japonesas, gregas e espanholas que conhecemos. Há um ensaio de 20 réis, de 1918, com um furo.

2016-09-03 14.21.26.jpg

Ensaio de moeda furada de $020 (fonte: AMATO; IRLEI, 2012)

Embora a peça não tenha entrado em circulação, ensaios existem e podem alcançar R$ 1,5 mil (Catálogo Bentes, E87.04) ou até R$ 2,5 mil (Catálogo Amato, E154).

O furo serve para que moedas que seriam muito pequenas não fossem assim tão diminutas. A economia do metal ao centro permite que a peça seja um pouco maior. Embora não tenhamos o diâmetro dos $020 furados, temos o da moeda que, de fato, entrou em circulação: 15 mm.

É realmente uma pena que os $020 furados não tenham entrado em circulação.

Da esq. à dir., de cima para baixo: 25 cêntimos (Espanha), 1 coroa (Dinamarca), 10 cêntimos (França de Vichy), 5 ienes (Japão) e 10 lepta (Grécia).

Catálogo Holtman

É com imensa honra que pomos à disposição mais uma opção de catálogo para os colecionadores. O Catálogo Holtman, do egrégio confrade e amigo Valdir Luiz Holtman, dedica-se às emissões brasileiras de 1868 até o momento. Trata-se, sem dúvida alguma, uma contribuição de peso e fôlego à numismática brasileira.

Deo volente, logo mais, para fazer par com ele, um pequeno tratado sobre a numária brasileira pós-1942, que está em fase de elaboração pelo autor deste blogue, será lançado. Infelizmente ainda sem data, mas adiantamos que vários dos temas presentes nessa obra futura estão tratados no nosso blogue.

Aqui vocês podem baixar o grande Catálogo Holtman, cuja numeração adotaremos também neste blogue.